15.10.2020

MON reabre com exposição de premiado escultor britânico

Para comemorar a sua reabertura, o Museu Oscar Niemeyer (MON) apresenta ao público a exposição “Espécies Raras”, de Tony Cragg, um dos mais destacados escultores britânicos contemporâneos. São aproximadamente cem obras, entre desenhos e esculturas, a maioria em grandes dimensões, que fazem parte da coleção do próprio artista.


Os materiais utilizados vão do vidro ao bronze, passando pela madeira e pela fibra de vidro, entre outros. Três obras estão instaladas na área externa do Museu: duas junto ao Espelho d’Água, sob o edifício do Olho, e uma no Vão-livre.

“A espetacular exposição de Tony Cragg estava prevista para ser inaugurada em março, exatamente quando o Museu teve que ser fechado devido à pandemia. O público tem agora a oportunidade única e imperdível de ver de perto a obra de um dos mais reconhecidos artistas da atualidade”, diz a diretora-presidente da instituição, Juliana Vosnika.

Ela explica que proporcionar ao público a oportunidade de apreciar a complexidade e a variedade das diversas fases da produção do premiado artista vem ao encontro de um dos objetivos do MON, de se colocar como uma instituição que promove a qualidade da experiência do visitante.

Ambientada no Olho, a mostra integra-se perfeitamente ao espaço e ganha um caráter único. Tony Cragg provoca o espectador com a ambiguidade de sua obra. “Formas orgânicas e geométricas, diferentes escalas, profusão de materiais trabalhados pelo artista, capturam e pedem um olhar atento, imaginativo, livre”, explica Juliana.


A exposição é dedicada à produção realizada a partir dos anos 2000, mas mostra também peças emblemáticas feitas nas décadas de 1980 e 1990. São esculturas e desenhos que permitem ao público uma imersão no processo criativo de Tony Cragg.


Entre os destaques da mostra estão duas obras apresentadas pela primeira vez no Brasil: “Sinbad” (2000) e “Minster” (1988), feita de anéis e engrenagens de aço. Outros pontos altos da exposição são: “Eroded Landscape” (1999), uma escultura construída por várias camadas de objetos de vidro como: copos, vasos, lustres, garrafas; “Secretions” (1995), feita a partir de dados colados.


Essas obras revelam um processo construtivo a partir da justaposição de objetos preexistentes. Outras séries de esculturas utilizam materiais diversos como madeira, bronze, fibra de vidro, alumínio, de tal modo que o próprio material da escultura conduz às suas soluções formais e estéticas.


Tony Cragg nasceu em Liverpool, no Reino Unido, em 1949, e desde 1977 vive e trabalha em Wuppertal, Alemanha. Frequentou a Wimbledon School of Art, em Londres, em 1973, onde recebeu seu título de bacharel. Em 1977, concluiu mestrado na Royal College of Art.

 

Exposições em cartaz


Além da exposição “Espécies Raras”, de Tony Cragg, estão em cartaz no MON as seguintes mostras: “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses” (Segunda Edição); “O Mundo Mágico dos Ningyos”; "Luz = Matéria"; “África, Mãe de Todos Nós”; “Museu em Construção”; “Espaço Niemeyer”; “Cones” e obras do Pátio das Esculturas.

 

Sobre o MON


O Museu Oscar Niemeyer (MON) pertence ao Estado do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além da mais significativa coleção de arte asiática da América Latina. No total, o acervo conta com aproximadamente 7 mil peças, abrigadas num espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina.

 

Serviço


“Espécies Raras”, individual de Tony Cragg

Sala expositiva do Olho

 Museu Oscar Niemeyer (MON)

Rua Marechal Hermes, 999

Curitiba – Paraná

museuoscarniemeyer.org.br

 

Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h

R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Quartas gratuitas (oferecimento do Governo do Estado do Paraná)