Obra

Não está claro até que a noite caia

artistas: Juliana Stein
curador: Agnaldo Farias
local: Sala 3

Museu Oscar Niemeyer abre mostra de Juliana Stein
Não está claro até que a noite caia” apresenta a obra da artista

O Museu Oscar Niemeyer (MON) abre no dia 30 de setembro, sábado, às 18h, a mostra “Não está claro até que a noite caia”, da artista Juliana Stein, com curadoria de Agnaldo Farias. A mostra integra a “Bienal de Curitiba 2017”.

Como sugere o título da mostra, a artista propõe uma reflexão sobre os processos de produção da imagem fotográfica e seus processos de leitura. As obras nesta exposição exploram as relações entre as palavras e as imagens a partir de indagações como: existe uma imagem para cada palavra? Existe uma palavra para cada imagem? 

“A Bienal de Curitiba nos surpreende a cada edição, sempre trazendo uma proposta que nos provoca e estimula. E essa também parece ser a ideia da artista Juliana Stein ao nos sugerir uma mostra reflexiva, que vai além do óbvio, dando luz às nuances da fotografia”, comentou o secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani. 

Para Juliana Vosnika, diretora-presidente do MON, está no escopo do museu abordar diversas linguagens artísticas. “Em seus 15 anos de atuação, o MON empenha-se no aprimoramento do seu calendário expositivo para entregar ao público as mais instigantes propostas nas artes visuais, arquitetura e design. Juliana Stein é uma artista singular que utiliza os mais diversos suportes para desafiar o público a uma reflexão sempre muito aprofundada da expressão artística, e se destaca ainda por ser a única mulher representante do Paraná 55ª Bienal Internacional de Veneza, realizada em 2013”. 

O curador Agnaldo Farias analisa a mostra. “Com essa exposição Juliana Stein realiza uma mudança drástica dentro de seu percurso, uma guinada que ajudará o público a entender a amplitude intelectual dessa grande artista, além de compreender a natureza movediça das fronteiras da arte”.

De acordo com Juliana Stein, “a fotografia tem este caráter de traço, de ter estado na frente do objeto e, apesar disto, de funcionar dentro de um circuito enquanto algo lhe falta. A imagem fotográfica é o registro de algo, mas do quê?”, provoca.

A artista
Juliana Stein nasceu em Passo Fundo (RS), formou-se em Psicologia pela UFPR em 1992, viveu por dois anos em Firenze e Veneza (onde estudou história da arte, técnica em aquarela e desenho) e trabalha com fotografia desde o final dos anos 1990. Com uma obra amplamente reconhecida no Brasil e no exterior, participou da 55ª Bienal Internacional de Veneza, da 29ª Bienal de São Paulo e expôs na Crone Gallery em Berlim, na ShangART Gallery em Xangai e no Carreau du Temple, em Paris.

Serviço
Abertura da exposição “Não está claro até que a noite caia” – fotografias de Juliana Stein
Dia 30 de setembro de 2017 (sábado) às 18h - entrada gratuita na hora da abertura.
Período expositivo: até 25 de março de 2018
Terça a domingo, das 10h às 18h
R$16,00 e R$8,00 (meia-entrada)
Venda de ingressos e acesso às salas de exposição até 17h30
Entrada gratuita às quartas-feiras

Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999 – Centro – Curitiba/PR
41 3350 4400
museuoscarniemeyer.org.br

Powered by
Publish for Free

Juliana Stein | risco, 2017
Juliana Stein | risco, 2017
Juliana Stein | agora que você chegou até aqui, 2017
Juliana Stein | agora que você chegou até aqui, 2017
Juliana Stein | nós, 2017
Juliana Stein | nós, 2017