Obra

Cones

artistas: Eduardo Frota
acervo:Museu Oscar Niemeyer
curador: Agnaldo Farias
local: Vão livre

A opção por formas geométricas – cilindros, cones, círculos, anéis, carretéis – tem sido a tônica da obra do cearense Eduardo Frota (1959), apontado como autor de uma obra única na produção contemporânea brasileira. Sistematicamente realizadas em grossas placas de compensado, cortadas por serras elétricas, a falta deliberada de acabamento das esculturas garante uma superfície rude, uma “explicitação da densidade e aspereza da matéria, que servem para desvendar o raciocínio e o processo de produção”.

Esses grandes cones de madeira industrial reflorestada compõem a linguagem poética do cearense. Construídas em grandes escalas, o artista procura estabelecer, por meio das peças, um diálogo permanente entre a obra e o espectador, a fim de provocar o fato artístico de forma múltipla, como observa o curador e crítico de arte Agnaldo Farias. Em plena atividade, o artista desenvolve seu trabalho e reside em Fortaleza (CE).

“Não proponho temas e nem assuntos. O que importa é disseminar uma experiência para os sentidos – humana, individual ou coletiva no contexto sócio-cultural e político. Essa experiência será o empurrão essencial para ativar sensibilidades, formular outras perguntas sobre o mundo, a vida, a existência”, explica o artista. 

Exposição de longa duração
Horário de funcionamento: terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada para professores e estudantes com identificação).

Dias e horários especiais
Toda quarta gratuita com programação especial: 10h às 18h
Primeira quinta do mês: horário estendido até 20h, gratuito após as 18h.
Programação especial todos os domingos

Foto: Marcello Kawase
Foto: Marcello Kawase
Foto: Marcello Kawase
Foto: Marcello Kawase
Foto: Marcello Kawase
Foto: Marcello Kawase