Obra

Circonjecturas - Rafael Silveira

artistas: Rafael Silveira
curador: Baixo Ribeiro
local: Sala 1

Museu Oscar Niemeyer inaugura a mostra “Circonjecturas”, de Rafael Silveira

O Museu Oscar Niemeyer (MON) inaugura apresenta a exposição  “Circonjecturas”, do artista paranaense Rafael Silveira, com curadoria de Baixo Ribeiro, sócio-fundador da galeria Choque Cultural, de São Paulo.

“É impossível não falar do artista paranaense Rafael Silveira, que está se consolidando como um dos principais nomes das artes visuais brasileira. Recebê-lo no Museu Oscar Niemeyer com a mostra “Circonjecturas” é um momento importante para a consolidação da arte produzida no Paraná. Um trabalho bem interessante que eu tenho certeza que será um sucesso”, comenta o secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani.

Juliana Vosnika, diretora-presidente do MON, ressalta: “A exposição de Rafael Silveira traz ao público uma experiência transformadora. Suas obras contêm aspectos lúdicos e inusitados, além da cenografia pensada para criar uma atmosfera que envolve o visitante a participar das obras, entrar e interagir com as instalações e com a paisagem gráfica que toma conta do espaço expositivo”.

São cerca de 50 obras, entre instalações inéditas, objetos cinéticos, molduras que se transformam em esculturas, bordados-objetos, além de pinturas, desenhos, gravuras, projeções e outros objetos representativos da produção do artista nos últimos anos.

Baixo Ribeiro comenta: “Circonjecturas não é uma exposição óbvia e não se encaixa em definições simplistas. Sua complexidade responde à vigorosa investigação de linguagens que Silveira imprime ao seu trabalho. Responde, igualmente, à pesquisa natural e inspiradora que o artista promove para o alcance de novos públicos”, analisa.

A linha curatorial propõe um percurso pelas obras. “O Corredor das Ilusões envolve o visitante na luz estroboscópica, sons e imagens em movimento. Logo após, uma instalação de escala arquitetônica se desmancha pelo chão. Nas paredes há um encadeamento de quadros minuciosamente pincelados com tinta óleo. Alguns desses quadros recebem molduras entalhadas, sendo que algumas dessas molduras acabam por deixarem de ser um mero adorno das telas pintadas, para tornarem-se elas próprias esculturas quase autônomas”, conta o curador.

A interdependência entre pintura e escultura forma diferentes formatos, pinturas esculpidas e esculturas pintadas exploram-se nas mais variadas conjugações, desde a tela bidimensional com uma simples moldura funcional que a protege até a peça tridimensional modelada em lata com a pintura selando todas as suas faces. "Por fim, numa das extremidades da sala, a pintura desaparece e dá lugar ao desenho, que também se desprende do bidimensional para surgir em traços sólidos, formados pelo entrelaçar de fios dos bordados que o artista cria em parceria com a artista têxtil Flávia Itiberê.

A exposição fica em cartaz até dia 6 de agosto e pode ser visitada de terça a domingo, das 10h às 18h. Os ingressos custam R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada). Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada franca.

Sobre o artista
Rafael Silveira começou no fim dos anos 1980, ainda criança, produzindo fanzines. Durante toda a década de 90 publicou quadrinhos em fanzines e revistas independentes de todo o Brasil. Chegou a publicar pela editora norte- americana Dark Horse, uma das maiores do mundo. Em meados dos anos 2000 se volta para a ilustração. Seu trabalho circulou por algumas das principais revistas brasileiras – inclusive ganhou o Prêmio Abril de Jornalismo. Apareceu em publicações internacionais - como as americanas Juxtapoz e Hi-Fructose e a francesa "Hey!", além de ilustrar a capa da revista brasileira de arte Zupi.

Ilustrou também campanhas publicitárias e materiais promocionais no Brasil e Europa, muitos deles premiados (três vezes prêmio Max Feffer de Design gráfico, Anuário do CCSP, Festival de Gramado, Art Director s Club of New York, entre outros). 

Em 2004 começou a pintar a óleo e expôs em São Paulo, Nova Iorque, Londres e Milão. Suas obras figuram em importantes coleções privadas e institucionais, como a do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Serviço
Circonjecturas – Rafael Silveira
De 11 de maio a 6 de agosto de 2017
Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h
R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada)
Quartas com entrada franca. Primeira quinta do mês horário estendido até as 20h, com entrada gratuita após as 18h. Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada franca.

Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999
41 3350-4400
www.museuoscarniemeyer.org.br

Powered by
Publish for Free

Rafael Silveira | Disturbed by old time music, 2015 | Óleo sobre tela | 80 x 120 cm
Rafael Silveira | Disturbed by old time music, 2015 | Óleo sobre tela | 80 x 120 cm
Rafael Silveira | O que os olhos não vêem, 2017 | Óleo sobre tela
Rafael Silveira | O que os olhos não vêem, 2017 | Óleo sobre tela
Rafael Silveira | Alívio imediato, 2009 | Serigrafia 4 cores sobre papel de alta gramatura | 50 x 70 cm
Rafael Silveira | Alívio imediato, 2009 | Serigrafia 4 cores sobre papel de alta gramatura | 50 x 70 cm